Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Amena Cavaqueira

O Amena não tem o melhor nome para blogue de viagem e lady-gazeta não é o nome de autor mais credível para uma blogosfera de gente séria, mas estamos bem com isso. Somos sempre mais do que bons viajantes e bons nomes.

Amena Cavaqueira

O Amena não tem o melhor nome para blogue de viagem e lady-gazeta não é o nome de autor mais credível para uma blogosfera de gente séria, mas estamos bem com isso. Somos sempre mais do que bons viajantes e bons nomes.

16
Set18

Aldeia Típica de José Franco

lady-gazeta

Senhores passageiros, o voo tem curta duração, mas promete magia.

Tem miúdos? Gostava de levar os seus pais a passear? Ou gosta simplesmente de conhecer?

 

Espectáculo. 

Sente-se que a dica de hoje é para si. 

 

Entre Mafra e a Ericeira, em Sobreiro, fica a aldeia mais ternurenta de todas as aldeias: a Aldeia de José Franco.

Assim que entramos somos bem recebidos pela brancura da cal bem aperaltada e pelo cheiro a pão com chouriço. Estamos inegavelmente na região saloia. 

 

41911507_277934939485897_662088368527507456_n.jpg

 

41843228_260942638091591_2044926185523118080_n.jpg

 

 

A aldeia fica abeirada da estrada nacional que me levava vezes sem fim ao sol envergonhado da Ericeira. Hoje foi mais um desses dias. Procurávamos praia, mas acabámos por encontrar um nevoeiro de oeste muito pouco surpreendente. Mas, sendo uma praia de infância, ganhei-lhe estima e um hábito domingueiro. 

 

Hoje, de regresso, movidos pela falta de sol e marasmo de um domingo de descanso, o trajecto pela nacional levou-nos a uma paragem para recordar a Aldeia de José Franco. Possivelmente a última vez que nos vimos foi há 20 anos. Poucas memórias, portanto. E lá parámos, para ver como estava tudo.

 

E estava tudo óptimo (tanto que vos escrevo, aqui). Como é a aldeia-museu de José Franco?

É precisamente uma aldeia em pequena escala. Cada casa representa os pontos principais de convívio e de comércio que uma aldeia supõe: a igreja, a mercearia, o café da esquina, a padaria, a loja, a casa da música, o relojoeiro, etc. No fundo da aldeia temos, como não podia deixar de ser, um coreto, uma bomba de água e, não fossemos nós estarmos ali, perto de Mafra, um moinho. Dentro de cada casa existem todos os decorativos alusivos às lides típicas de uma aldeia: a casa da música com acórdeão e dezenas de outros instrumentos, a mercearia com balança, com a faca do bacalhau e as vendas a vulso, a padaria com forno. E tantas outras coisas que, por ser uma realidade ainda tão viva para mim, comove-se a minha alma ao lembrar-se de tanta brincadeira no meio de todos aqueles pertences. 

 

42044676_276062953118688_6791709154705670144_n.jpg

41833352_250829028961371_2859864571735179264_n.jpg

42059503_2135691586671393_2827835986996625408_n.jp

41951362_854850664724973_18189328232480768_n.jpg

 

41953624_272172866747142_5180760973169917952_n.jpg

41962056_2219599808058853_4350953474603614208_n.jp

 

42045241_321010032038654_386796826168131584_n.jpg

 

41863487_534247977021780_5161414864215736320_n.jpg

 

41886584_329421651152446_1085882859027169280_n.jpg

 

No centro da aldeia, está o exlíbris de José Franco. 

Casas meticulosamente bem-feitas, detalhadas e com um efeito presépio que me fez afirmar: a aldeia mais ternurenta de todas as aldeias.

 

41934083_939303689608993_5148230422718578688_n.jpg

 

 

Em algumas das casas, como a casa da música, a igreja, etc têm também miniaturas vivas do local que representam.

Há luzes, água que corre no rio, e pessoas em movimento, fazendo-nos sonhar e acreditar que somos parte da história.

41923642_325293498217960_6892755402874683392_n.jpg

 

Enquanto que para mim e para o A foi reviver tempos que no fundo não são assim tão antigos, acredito que para muitos é aprender realidades do passado. Uma preciosidade, portanto.  Especialmente uma preciosidade tão bem conservada há tantos, tantos anos.

 

Para miúdos e graúdos, é um passeio que vale a pena. E se forem ao Domingo, pode ser que nos encontremos para um Ouriço na Ericeira.  Ou fiquemo-nos somente na Aldeia, a comer um pão com chouriço bem quentinho.

 

Mapa:

 

 

 

1 comentário

Comentar post

A Lady-Gazeta

Siga-nos no Facebook!

O Amena pertence a...

Amena no Mundo

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar